“PROFESSOR, QUANDO O SENHOR ME ATENDE?”: a expansão do ensino superior em administração no Brasil

Renner Coelho Messias Alves, Gabriela Izabel de Alvarenga

Resumo


Ao tratar da expansão do ensino superior no Brasil, este artigo objetiva compreender como esse fenômeno influencia a composição desse segmento educacional, de forma a evidenciar suas prováveis consequências sobre a relação docente-discente da graduação, em âmbito geral, e da pós-graduação stricto sensu na área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo. Para tanto, além de consultas à literatura científica, para esta pesquisa qualitativa, realizada no segundo semestre de 2016, foram coletados dados em relatórios de instituições supervisoras do censo educacional entre 2009 e 2014. Ademais, a pesquisa documental foi avaliada por meio das diretrizes de análise de conteúdo, com o intuito de melhor compreender as relações mercadológicas existentes no ensino superior e de verificar a sobrecarga de funções que têm sido atribuídas aos docentes. Assim, a multifuncionalidade docente também é discutida mediante os dados coletados e as contribuições das obras consultadas. Em sua última seção, esta pesquisa apresenta as percepções sobre a atual conjuntura educacional voltada para atender ao aluno, quem demanda a atenção do professor engajado nas mais distintas práticas educacionais.

Palavras-chave


Educação superior; Multifuncionalidade docente; Ensino em administração.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

AKTOUF, O. Ensino de Administração: por uma pedagogia para a mudança. Organizações & Sociedade, v. 12, n. 35, p. 151-159, 2005.

ALCADIPANI, R. Academia e a fábrica de sardinha em lata. Organização & Sociedade, Salvador, UFBA, v. 18, n. 54, p. 345- 348, abr.-jul. 2011.

ALCADIPANI, R.; BERTERO, C. O. Guerra Fria e ensino do management no Brasil: o caso da FGV-EAESP. Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 3, p. 284-299, maio-jun., 2012.

ALCADIPANI, R.; BRESLER, R. McDonalidização do ensino no Brasil. Carta Capital, São Paulo, n. 122, maio 1999.

ALCADIPANI, R; ROSA, A. R. From grobal management to glocal management: latin american perspectives as a counter-dominant management epistemology. Canadian Journal of Administrative Sciences, v. 28, n.4, p. 453-466, 2011.

BERTERO, C. O. A evolução da análise organizacional no Brasil (1961-93). Revista de Administração de Empresas (RAE), v. 34, n. 3, maio-jun., p.81-90, 1994.

_____. Pesquisa e ensino em administração. São Paulo: EAESP/FGV, 2009.

BRASIL. Conselho de Educação Superior. Parecer nº 977, de 3 de dezembro de 1965. Disponível em: < www.capes.gov.br>. Acesso em: 23 fev. 2015.

_____. Ministério da Educação e Cultura. Conselho Nacional de Pós-Graduação. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 1975-1979. Coordenação de Pessoal de Nível Superior: Brasília, 1974. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

_____. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Secretaria de Educação Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 1982-1985. Coordenação de Pessoal de Nível Superior: Brasília, 1982. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

_____. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 1986-1989. Coordenação de Pessoal de Nível Superior: Brasília, 1986. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

_____. Ministério da Educação (MEC). Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2005-2010. Coordenação de Pessoal de Nível Superior: Brasília, 2004. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

_____. Ministério da Educação (MEC). Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020: volume I. Coordenação de Pessoal de Nível Superior: Brasília, 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

_____. Ministério da Educação. Portaria Normativa Nº 17, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

BRULON, V.; VIEIRA, M. M. F.; DARBILLY, L. Choque de gestão ou choque de racionalidades? O desempenho da administração pública em questão. Revista Eletrônica de Administração, v. 19, n. 1, p. 01-34, 2013.

CARNEIRO, T. C. J.; SILVA, M. A.; BIZARRIA, F. P. A. Fatores que afetam a permanência dos discentes em cursos de graduação a distância: um estudo na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Gestão e Sociedade, v. 8, n. 20, p. 651-669, 2014.

CHAUÍ, M. A universidade operacional. Folha de São Paulo. 9. out. 1999. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016.

______. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista brasileira de educação, v. 24, p. 5-15, 2003.

CHAVES, V. L. J. Expansão da privatização/mercantilização do ensino superior brasileiro: A formação dos oligopólios. Educação & Sociedade, v. 31, p. 481-500, 2010.

COELHO, S.; VASCONCELLOS, M. C. C. A criação das instituições de ensino superior no Brasil: o desafio tardio na América Latina. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL, 9. 2009, Florianópolis. Anais… Florianópolis: UFSC, 2009.

CUNHA, L. A. A Universidade Temporã: o ensino superior da colônia à era de Vargas, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

______. Desenvolvimento desigual e combinado no ensino superior: Estado e mercado. Educação & Sociedade, v. 25, n. 88, p. 795-817, 2004.

DEMO, P. Introdução à metodologia da ciência. São Paulo: Atlas, 1985.

FESTINALLI, R. C. A formação de mestres em administração: por onde caminhamos? Organizações & Sociedade, v. 12, n. 35, p. 135-150, 2005.

FISCHER, T. O ensino de administração pública no Brasil: da tutela estrangeira à autonomia necessária. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPAD, Belo Horizonte, 1985. Anais... Florianópolis, SC: 1985. Ed. da UFSC, 1985. p. 165-170.

FRENKEL, T; SHENHAVY, Y. From americanization to colonization: the diffusion of productivity models revisited. Organization Studies, v. 24, n. 9, p. 1.537-1.561, 2003.

GEOCAPES. Dados estatísticos da CAPES. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2016.

GHOSHAL, S. Bad management theories are destroying good management practices. Academy of Management Learning & Education, v. 4, n. 1, p. 75-91, 2005.

GUERREIRO RAMOS, A. Administração e contexto brasileiro. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1983.

INSTITUTO NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censos da educação superior. Disponível em: . Acesso em: 2 jul. 2016.

KELLY, E.; MILLS, A.; COOKE, B. Management as a Cold War phenomenon? Human Relations, v. 59, n. 5, p. 603-610, 2006.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LEMOS, D. Trabalho docente nas universidades federais: tensões e contradições. Cad. CRH, Salvador, v. 24, n. spe., p. 105-120, 2011.

LITTO, F. M.; FORMIGA, M. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education, 2009.

MICKLETHWAIT, J.; WOOLDRIDGE, A. Os bruxos da administração: como entender a babel dos gurus empresariais. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

MINAYO, M. C. S. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2009.

MONDO, T. S.; FIATES, G. G. S.; DALMAU, M. B. L. Mapeamento do Processo de Criação de Cursos Superiores na Modalidade EaD. Tecnologias de Administração e Contabilidade, v. 4, n. 2, p. 132-147, 2014.

MOTTA, F. C. P. A questão da formação do administrador. Revista de Administração de Empresas (RAE), Rio de Janeiro, v. 23, n. 4, p. 53-55. out.-dez, 1983.

NASCIMENTO, E. M. et al. Variáveis que influenciam a escolha dos estudantes por cursos de pós-graduação lato sensu a distância na área de negócios. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 8, n. 1, p. 73-95, 2014.

NICOLINI, A. Qual será o futuro das fábricas de administradores. Revista de Administração de Empresas (RAE), v. 43, n. 2, p. 44-54, 2003.

OLIVEIRA, F. B.; SAUERBRONN, F. F. Trajetória, desafios e tendências no ensino superior de administração e administração pública no Brasil: uma breve contribuição. Revista de Administração Pública (RAP), v. 41, n. spe., p. 149-170, 2007.

PAULA, A. P. P.; RODRIGUES, M. A. Pedagogia Crítica no Ensino da Administração: Desafios e Possibilidades. Revista de Administração de Empresas (RAE), São Paulo, v. 46, p. 10-22, Edição Especial Minas Gerais, 2006.

REZENDE VERGARA, M. Contexto e conceitos: história da ciência e vulgarização científica no Brasil do século XIX. Interciencia, v. 33, n. 5, p. 324-330, 2008.

RODRIGUES, J. Os empresários e a educação superior. Campinas: Autores Associados, 2007.

RUAS, R.; COMINI, G. M. Aprendizagem e desenvolvimento de competências: articulando teoria e prática em programa de pós-graduação em formação gerencial. Cadernos EBAPE.BR, v. 5, n. spe., 2007.

SANDER, B. Gestão da educação na América Latina: construção e reconstrução do conhecimento. Campinas: Autores Associados, 1995.

SANTOS, B. S. La universidad en el siglo XXI: para una reforma democrática y emancipadora de la universidad. In: RAMÍREZ, R. (Coord.) Transformar la universidad para transformar la sociedad. Quito: SENESCYT, 2012.

SCHWANDT, T. Constructivist, interpretativist approaches to human inquiry. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Org.). The landscape of qualitative research: theories and issues. London: Sage, 1994. p. 221-259.

SILVA JR, J. R.; SGUISSARDI, V. Universidade pública brasileira no século xxi educação superior orientada para o mercado e intensificação do trabalho docente. Espacios en Blanco - serie indagaciones, Tandil, v. 23, n. 1, p. 119-156, jun. 2013.

SIQUEIRA, A. C. O. O plano nacional de pós-graduação 2005-2010 e a reforma da educação superior do governo Lula. In: SIQUEIRA, A. C.; NEVES, L. M. W. (Orgs.). Educação Superior: uma reforma em processo. São Paulo: Xamã, 2006. p. 107-124.

TENÓRIO, F. G. Tem razão a administração? 4. ed. rev. e ampl. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 2016.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1998.

WANDERLEY, S. Estudos organizacionais, (des)colonialidade e estudos da dependência: as contribuições da Cepal. Cadernos EBAPE. BR, v. 13, n. 2, 2015.

WOOD JR., T.; PAULA, A. P. P. O fenômeno dos MPAs brasileiros: hibridismo, diversidade e tensões. Revista de Administração de Empresas (RAE), São Paulo, v. 44, n. 1, p. 116-129, mar. 2004.




DOI: https://doi.org/10.21902/jbslawrev.%20foco.v10i2.200

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Foco (Journal of Business Studies and Law), e-ISSN: 1981-223X

Rua Chile, 1678, Rebouças, Curitiba/PR (Brasil). CEP 80.220-181

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.